02 janeiro 2016

Durma bem pobre coração




Faz pouco mais de um mês que não escrevo, e nossa parece que se passou uma vida e a proposito que vida de merda.

 Eu ouvi dizer que um raio não cai no mesmo lugar duas vezes, mas esse raio de destruição não entendeu muito bem o recado. Caiu no meu peito a primeira vez quando me apaixonei por uma pessoa virtualmente, quando meu amor não foi correspondido e foi uma droga. E agora porque ele não é capaz de me ouvir e me entender, e é muito triste quando amores são destruídos assim, é muito frustante saber que nenhum amor vai dar fruto é ridículo viver sem um proposito, saber que independente da forma que haja em seja la qual for a situação será sempre a mesma merda. 
Outra vez estou eu aqui chorando, outra vez estou aqui me arrependendo de ter deixado isso acontecer.  Onde será que é o meu lugar ? qual será a tal da minha missão ? será que algum dia alguém vai se importar em ouvir as baboseiras que saem da minha boca, será que algum dia alguém vai querer ser o motivo pelo qual eu acordei feliz, ou  vai ser sempre assim, viver um dia após o outro, deixar o tempo cicatrizar todas as feridas dessa alma em pedaços, deixar que minha enxaqueca melhore sozinha, e meu coração, ah vamos polpá-lo dessa conversa chata, ele está guardado, se repousando, dando um trato no cabelo e nas unhas, ele anda vendo muitos contos de fadas, mas oque mais o encantou foi o da Branca de neve, 'depois do nevoeiro só se acordará depois de um beijo de amor'.    É clichê mas eu andei decidindo por ele e não deu muito certo, quem sabe não seja essa a solução.    

- Bárbara Costa